segunda-feira, 9 de junho de 2008

A febre do Euro 2008

Parece que não afectou toda a gente. Apesar dos maluquinhos que festejaram a primeira vitória de Portugal como se fosse já a conquista do título europeu, parece que a febre do Euro 2008 não afectou toda a gente (a mim afecta-me durante os jogos, naqueles 90 minutos não me telefonem, não me chateiem, não me façam perguntas difíceis, dêem-me um ecrã generoso, boa companhia... e um granizado de champanhe feito pela Bimbi, já agora).
Sábado à noite, vários cachecóis ao peito pelo Bairro Alto fora, e naquele espírito de quem ganhou um jogo e está de férias, o meu irmão diz ao taxista, no final da viagem:

"Adeus, boa noite. E que Portugal ganhe o Euro, hein?"

Foi pior do que dizer-lhe "e que a gasolina não pare de aumentar e o Sócrates proíba os taxistas de circular, hein?"

O senhor ficou revoltado, chocado, fora de si. Disse que o ordenado que os jogadores recebem é insultuoso. Vociferou qualquer coisa contra o facto de, só por estarem no Euro, ganharem mais mil euros por dia. E no meio de uma revolta imensa, entre uma série de palavras que eu não percebi, terminou dizendo:

"Se fosse eu a mandar era dar-lhes uma caganeira a todos."

3 comentários:

misskitsch disse...

Epah, essa frase é abcolutamente mítica!
lol
Adorei, Vou passar a utilizar, em todas as circunstâncias.

Beijinho **

>> nim disse...

eu costumo dizer 'diarreia'... mas referente ao pessoal que está de férias :p ahhaha

beijinho!

Mariazinha disse...

Muuuito bom...