quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Julio Cortázar

"Por trás de toda a acção havia um protesto, porque tudo significava sair de para chegar a, mover algo para que estivesse aqui e não ali, entrar nessa casa em vez de não entrar ou entrar na do lado, ou seja, em cada acto havia a admissão de uma carência, de algo que ainda não fora feito e que era possível fazer, o protesto tácito diante da evidência contínua da falta, da quebra, da escassez do presente."

"Aquilo a que muita gente chama amar consiste em escolher uma mulher e casar-se com ela. Escolhem-na, juro-te, eu vi-os fazerem-no. Como se se pudesse escolher no amor, como se o amor não fosse como um raio que te parte os ossos e que te deixa petrificado no pátio. (...) Não se pode escolher Beatriz, não se pode escolher Julieta. Tu não escolhes a chuva que te vai ensopar até aos ossos quando sais de um concerto."

in O Jogo do Mundo (ed. Cavalo de Ferro)

12 comentários:

As Mulheres Não disse...

Mas É uma escolha. As mulheres escolhem não me amar. Todas.

R.L. disse...

Mas talvez possamos escolher a forma como nos decidimos curar da gripe que a chuva nos causa...
Não sei.
Eu tenho medo do amor.
É isso.

Lindo texto.

misskitsch disse...

Já achei que não se podia...
Agora acho que, dentro de certos condicionalismos, é uma escolha que se faz. E gosto dessa perspectiva!

Carochinha disse...

Malandra, o Cortázar é da Cavalo de Ferro =). A César o que é de César, ou lá como se diz.

Muah*

juliette disse...

haha, já estava era a dormir. E com o livro ao lado. =P
Já corrigi.
E o N.S?

claudia oliveira disse...

Mas escolhes levar um chapeu de chuva.

Espiral disse...

E se não tens chapéu de chuva? E se tens mesmo de sair porque as portas do sítio onde aconteceu o concerto vão fechar? Mesmo que ainda te lembres de outra maldita (ou abençoada) chuva que te molhou até aos ossos, não tens escolha senão sair e ficar de novo encharcada...

É muito fácil dizer "não te envolvas". Como é que se impede?

Beijo. Gosto muito dos teus posts.

Espiral

R.L. disse...

tens um desafio no meu blogue :) *

R.L. disse...

eu espero :) beijinho e boa semana * escreve coisinhas, eu gosto de as ler!

disse...

Cheguei aqui pela pipoca. E gostei!

gambozino disse...

se calhar pode-se escolher ou não, se calhar é mais bonito quando não se escolhe, pode doer mais, mas é mais bonito. deixar de amar também se pode escolher, mas dói muito mais quando não foi nossa escolha... se calhar nem é nada disto... de qualquer forma obrigado por me provocares reflexão.

OS OLHOS ABERTOS disse...

engraçado, hoje mesmo me ocorreu esse trecho do livro e fui buscar para reler. publiquei lá no meu blog.

parabéns pelo blog.