sexta-feira, 23 de setembro de 2011

O dia em que as coisas acabam

É um dia igual aos outros. De manhã o sol nasce e à noite põe-se e fica escuro outra vez. Os donos passeiam os cães de manhã, os pais deixam os filhos na escola, as pessoas esperam pelo autocarro e a manteiga está dura de estar no frigorífico, como sempre. Mas não é um dia igual aos outros, cá dentro não é. O mundo que continua a girar com a mesma velocidade e as mesmas rotações por minuto parece que está envolvido numa espécie de celofane, ou que saímos de casa com as borrachas para o barulho ainda nos ouvidos. A vida continua, mas parece que só lá ao fundo, quase irreal, como as imagens que passam nas salas de espera das urgências e a quem ninguém liga. O dia em que as coisas acabam tem 24 horas como os outros mas é uma espécie de maratona interminável. É o dia do nosso fracasso, um fracasso pior do que ter negativa na escola ou perder uma corrida ou queimar o jantar com convidados à mesa, porque é um fracasso que vem de dentro, que vemos só como nosso, mesmo quando não é e é pouco justo impor esse peso. É o dia em que queremos que falem connosco e nos façam esquecer este aperto no peito, ou então que fiquem calados, porque dói se disserem coisas tristes, e dói se disserem coisas felizes. É o dia em que sentimos que estamos a andar para trás mesmo quando as pernas andam para a frente, e como não somos caranguejos não conseguimos evitar ficar ainda mais, um bocadinho mais tristes. Dizem-nos que é o primeiro dia das nossas vidas, mas enquanto acontece parece só um grande, enorme, baixar de braços.

28 comentários:

Espiral disse...

*Abraço*

Bluebluesky disse...

Péssimos dias...:(
Q passe depressa!

sophia baunilha disse...

Quando este dia chegou não houve nada que me pudessem dizer que ajudasse realmente. Já passou e passará contigo também. Mas enquanto não passa, um beijo e força.
O texto está maravilhoso, muito bonito e extraordinariamente real e claro. É fácil cair em exageros e dramatismos quando escrevemos sobre coisas assim. A tristeza também pode ser bonita e foi isso que fizeste aqui.
Um grande beijinho.

*M disse...

Do melhor que já li! Triste, mas tão real!

chinfrim disse...

Isto é horrível e estou... chocada. Mas o que tiver de acontecer acontece, honey. Acredita nisso. A coisa mais espectacular da vida é que nunca sabemos o que nos reserva o dia de amanhã: pode ser uma coisa maravilhosa, pode ser a realização do teu maior sonho... por muito que isso te pareça improvável. Se precisares, I'm here *

Bravo disse...

vai-te aparecer em breve o merecido leão, não duvides!!! beijo e força*

Anónimo disse...

E depois há os dias seguintes ao dia em que tudo acabou. Estou nesses dias. Identifiquei-me muito com o que escreveste. Há dias em que pensamos que algo muito melhor virá, há outros que nem por isso. Mas todos os dias sabemos que merecemos ser felizes!
Beijinhos

Anónimo disse...

E o que eu gostava de escrever assim... Força *

Aflito disse...

Tanta gente boa a escrever clichés! :|

Marisa disse...

Como a tristeza pode ser tão bela, minha querida. Eu sei que não valem de muito as minhas palavras mas isso vai passar, vais voltar a sentir, vais deixar essa dormência e viver a vida cheia de entusiasmo e ser muito feliz. Acredita. Recebe um abraço morno como um cobertor de lã.

Marisa disse...

Aflito, por vezes os clichés são puro bom senso e uma forma de demonstrar carinho e preocupação, por isso vale a pena serem partilhados.Se quiseres partilhar a tua originalidade neste momento de aflição da nossa amiga, não te acanhes. ;)

Carla Isabel disse...

Adorei o que escreveste...adorei como escreveste.
Sobre o tema...minha querida, debaixo do mesmo céu há alguém que te merece...sorri, porque esse alguém há-de aparecer, para te amar!
Beijinhos!

andreia disse...

passo plo mesmo neste momento, texto perfeito!

Cláudia N. Matos disse...

Gostei imenso!

Há um amor que nunca morre disse...

Parabéns pelo teu texto!! Uma descrição magnifica!

a massaroca disse...

...porque são os textos mais tristes sempre os mais belos? Que texto maravilhoso e que descrição perfeita....

Mara disse...

Mais acertado era impossível... pelo menos foi exactamente o que senti.

Anónimo disse...

Já li e reli o teu texto, puseste em palavras exactamente o que senti...

Anónimo disse...

Talvez quando te deres ao trabalho de descobrir o caminho da felicidade, talvez o encontres. Sabes que a felicidade conquista-se? Ser feliz é saberes dar valor ao que tens e ao que conquistaste. É olhares para o lado e veres que as pessoas que te levaram até esse ponto continuam do teu lado, e, é claro, saber dar o devido valor a esse amor incondicional. Aprenderes a sorrir para a vida, para que te seja devolvido esse sorriso. Podes até entupires-te em trabalho para esquecer, mas será no momento em que regressas para o vazio que vais sentir a falta desse alguém. O tempo cura os corações mas acredita nisto que te digo, terás de ser forte.

"Sometimes you can't make it on your own" Bono Vox

Vanessa disse...

Embora agora tenha um namoro feliz , sei o que é sentir o que está descrito .
Maravilhoso , simplesmente .
Continue a ganhar esta inspiração , para que nós - leitores - possamos continuar a deliciar-nos com os seus textos .

Beijinho

algodão doce para duas disse...

Um beijinho*
@Anna

Pequena disse...

Tomei conhecimento do teu blogue e, em especial, deste post através do asnovenomeublogue e revejo-me, perfeitamente, no que escreveste!
Tudo na vida têm uma razão e acredita que quando se fecha uma porta, abre-se uma janela ;)
Felicidades

Pais criativos,filhos felizes disse...

Adorei.já me senti assim. já toda a gente se sentiu assim, pelo menos uma vez na vida, e está tão bem escrito e tão bem explicado que voltamos ao dia em que vivemos o dia do fim, de um fim. Certamente é pelo melhor. Eu sei que custa ouvir, não se gosta, mas a vida sabe o que faz..mais para a frente vais perceber porque acabou :) Dias felizes

Beatriz disse...

A descrição ao longo do texto está bem próxima de quem a lê, e a primeira pessoa a negá-lo não sabe lidar com a vida que tem. Todas as pessoas sentem essas coisas, por mais que tentem esconder :)* Parabéns pelo texto, adorei.

Maria Inês disse...

Muito Bonito!!! E tão verdade... foi a primeira vez que vim ao blogue e recomendaram-me ler este post. Gostei mesmo!!! Um beijinho

Anónimo disse...

olá.
Andei a ler o teu blog e deparei-me com este texto, que decerto já foi a algum tempinho.
Espero que já tenhas conseguido passar (um bocadinho) a desilusão, e essa sensação de fracasso. Ao ler as tuas palavras, pareces-me uma mulher interessantíssima. E perante esse fim de relação pelo qual passaste só podes fazer uma coisa, agarrares-te à tua vida com unhas e dentes e vivê-la ao máximo. Porque uma coisa podes ter a certeza, a única pessoa que nunca te vai abandonar és tu mesma; por isso cria tu a tua própria Felicidade e vive-a.

Beijos.
Maria G.

Miss Pippa disse...

Ando a ler o teu blog e vi este texto.
Adorei. Muito bonito.

Margarita disse...

So hj vi este texto :( ...lindo! Parabéns*