segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Obrigada Pipoca

Por muita coisa e também por isto.

13 comentários:

R.L. disse...

Deixa doer. Que doa sempre que tiver de ser. Que te faça sentir não pequena, mas grandiosamente humana. Que te faça sentir viva. O coração não bate? O medo não existe? O sofrimento não nos assombra? Ainda bem. Tens tudo no lugar certo para viver.
Pega em ti, na tua juventude, na tua sensibilidade, inteligência, no teu talento, nos teus amigos, na tua beleza e vai viver a vida lá fora e a vida dentro de ti. Não há ninguém que a viva por ti querida Juliette.
E sempre me disseram que a felicidade está nas nossas mãos. Só depende de nós. E eu até ouvi dizer que as tuas são bonitas.
Por isso, hoje é um bom dia para daqui a 3 segundos não pensares que não consegues.

Miss Strawberry disse...

Juliette

Há algum tempo que sigo o teu blog mas nunca tinha comentado. Percebo que estás a passar um mau bocado (pelo qual também já passei e, portanto, percebo o que sentes).

Queria só deixar-te um beijinho cheio de força para ultrapassares rapidamente esta fase menos boa...

cdgabinete disse...

Coragem! o tempo fará o resto....

mary disse...

Um abracinho muito apertado :)

Alexandre disse...

Hã? O quê?
Passa-se alguma coisa?

Vanessa Casais disse...

Juliette sinto-me próxima e nem te conheço, não me leves a mal escrever aqui umas palavras, que não passam disso mesmo, palavras, mas que podem ter o condão de te trazer algum ânimo, ou mesmo a magia de te fazer sorrir, e mesmo que seja por segundos, já valeu a pena ter passado por aqui e ter escrito qualquer coisa. Não tenho nenhum remédio milagroso, mas já passei pelo mesmo e infelizmente mais vezes do que seria aconselhável, a experiência ditou-me que há coisas que ajudam e outras que não ajudam nada. É proibido ler postais ou cartas antigas, ouvir músicas tristes, ou que sejam de algum modo bandas sonoras de um momento vivido. Essas coisas não ajudam. É proibido fazer disparates para esquecer, é proibido termos pena de nós próprias. Nenhuma destas coisas ajuda. Ajuda mimarmo-nos sem ser de forma consumista. Beber sumos de fruta, comer vegetais, tomar banhos de emersão com muita espuma e mesmo com um copo de vinho, ajuda ouvir muitas vezes uma música que nos anima, ajuda estarmos com pessoas que nos fazem sentir bem e nos valorizam sem nos lembrarem constantemente do que nos dói. Ajuda repetir certos mantras, como «eu sou feliz», mesmo que não acredites mal não faz. Ajuda traçar objectivos, fazeres coisas que há muitos querias fazer e adiaste por algum motivo. Esse tipo de coisas positivas e construtivas ajudam. Ajuda pôr muito creme e o cheiro a baunilha se gostares de baunilha, ajudam as coisas tolas que nos fazem sentir bem. Há dias em que nada ajuda... e não faz mal ceder e chorar, deitar cá para fora, morder a almofada como se fosse um pastel. Mais do que o tempo que virá, pensa no tempo presente, em como estás numa idade tão boa. Tenta visualizar-te velhinha a fazer o balanço da tua vida, ao olhares para trás o que irias pensar? Provavelmente que se tivesses de novo esta idade não desperdiçavas um dia com tristezas.

Carla Isabel disse...

Minha querida,

Antes de mais um beijo grande e um braço apertadinho, porque te sinto triste como se um buraco tivesse aberto no teu peito...

Olha, tens uma amiga maravilhosa que te dedicou um texto cheio de palavras para refletires e isso também vale ouro.As amigas a sério.

Os amores...olha minha querida, um dia, amei alguém tanto tanto, que cometi uma serie de erros encadeados porque me esqueci de mim.Esqueci-me de mim. Um dia, fui eu que vi que nao valia a pena continuar.Mas já não doeu sair.Porque já tinha doído tanto mas tanto que sair foi o meu oásis no deserto em que eu vivia.
Graças a Deus também tive amigos nessa altura, à altura!

Mas sabes, debaixo do mesmo céu havia alguém que me espararia, pensava eu...pensei eu tantas vezes a olhar o céu, da janela da minha cozinha...

E um dia, apareceu alguem...o meu porto de abrigo...com quem casei e tenho filhos...

Sofre tudo agora e chora. Chorar lava a alma!
Sê feliz! Tu, sê feliz e ti para ti.
Porque um dia, e vais ver que sim,terás também o teu porto de abrigo... debaixo do mesmo céu ele já existe!

Um beijinho grande

juliette disse...

É um comentário mas podia ser uma adenda ao próprio post: obrigada pelos comentários, pela força, pelas sábias palavras, pela esperança. Obrigada antes de mais por deixarem palavras, por partilharem, por ajudarem a encontrar um rumo mesmo não me conhecendo. É bom saber que nos lêem, mas ainda é melhor saber o que pensam e onde se reoonhecem quando nos lêem.
Obrigada, mesmo.

mc disse...

dear Juliette: és a maior. beijinhos de saudades.

R.L. disse...

De nada, e quero voltar a ler-te mais vezes, independentemente do que seja.
Quando te deitares, pensa para ti "eu sou capaz".
E és.
Somos todos.
Dou-te o exemplo da minha mãe, ficou viúva com 5 filhas pequenas nas mãos. E foi capaz. E é capaz.
Abre o coração e abraça-te.

Carla Isabel disse...

Minha querida, só mais este apontamento...

Amar é caminhar de mão dada, ainda que em silêncio, ou em dias menos bons, mas sempre de mão dada...ou não valerá a pena!

E também tu deves ter alguém, que vai querer muito andar de mão dada contigo...haja o que houver!

Um abracinho e um beijinho!
Hoje é um novo dia !
SORRI!

Vanita disse...

Tinhas aqui um texto tão lindo...

crème fraîche disse...

também não cheguei a conseguir ler o texto todo que aqui puseste...