quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

O que eu gostava

Escrevi este texto há cerca de dois meses, mais ou menos quando também escrevi aquele sobre as declarações de amor de todos os dias. Encontrei-o hoje, a limpar o computador de coisas que têm mesmo de desaparecer. Na altura não o publiquei porque não queria que fosse verdade, porque não podia ser verdade. Publico-o agora para me lembrar como era aquela tristeza diferente desta tristeza mas, ainda assim, tristeza. Para me lembrar disto todos os dias. Todos os dias até finalmente perceber que o amor não é tudo e que o amor não pode nada contra alguém que não sabe nem quer aprender a gostar.

O que eu gostava
Gostava de ter coragem para admitir que ando triste. Que há semanas em que me apetece chorar todos os dias. Que às vezes me sinto igual a toda a gente, que não me sinto eu ultimamente, que houve aqui um botão qualquer que se avariou e eu ainda não consegui perceber qual é e não tenho caixa de ferramentas. Gostava de poder pegar no telefone e contar que às vezes soluço como quando era pequena. Que tenho saudades das minhas músicas mas não tenho vontade de as ouvir. Que me sinto cansada e desmotivada mas não há mais nada que eu gostasse de fazer. Gostava de ter coragem para dizer que não me sinto em casa e que apesar de querer construir uma casa demoro tempo a encontrar o meu lugar num lugar diferente do dos últimos 25 anos. Gostava de não sentir que tenho obrigação de parecer feliz todos os dias, que tenho de festejar as datas redondas só porque o calendário diz que sim. Gostava de não estar no meio de sítio nenhum, entre as borboletas e a estabilidade. Gostava de voltar a acreditar. Gostava de sentir que posso ser eu, que posso ter coragem e admitir que ando triste e ninguém vai fugir. Gostava que não se esquecessem das promessas que me fazem e que não se esquecessem de dizer olá de vez em quando. Gostava de ser menos perfeccionista e aliviar um pouco a pressão que ponho sobre mim mesma. Gostava de poder reclamar por a luz estar acesa e isso não fazer de mim uma pessoa chata, apenas presente. Gostava de saltar o Inverno e passar um mês inteiro ao sol. Gostava de conseguir apagar a imagem da minha cadela a morrer, que tanto me tem assombrado nos últimos dias. Gostava de saber o que dizer mais vezes. Gostava que não fosse tão difícil estar de repente com quem me faz falta. Gostava de acreditar que vou voltar a ser optimista. Gostava de ter coragem para admitir que ando triste. Mas se o disser alto passa a ser verdade.

21 comentários:

Alexandre disse...

Força*

Feliz Natal. O teu desabafo está muito bom ;)

Patty*=) disse...

Estas palavras partem o coração...
Doem assim como cristaizinhos bem afiados corrente sanguínea a fora! Mas a verdade é que nem assim consigo ter as ferramentas certas para remendar esse coração partido e apertado... também não tenho palavras que tragam de volta esse sorriso sempre contagiante... nem mesmo canetas especiais, estrelinhas portáteis e acessórios afins que devolvam o brilho a esses olhos!
Mas tenho mimo, muito mimo, a toda a hora, sempre que mais precisares e mesmo quando não precisares e me chamares MELOSA =) E disso prometo que tenho aos montes, sem figas e sem falhar!
E começa já aqui---> miminhooooooo*

Patty *=) disse...

E só mais uma coisinha que ficou esquecida no meio de tanto mimo... Sei que a Boogie era mesmo a MELHOR a secar as lágrimas mais dolorosas, mas isso não é pretexto para elas continuarem a rolar frenéticamente!
Por isso, cheer up Sis... mesmo sem Boo-Lambidela =)*

Rapunzel disse...

Posso assinar em baixo!
É ter uma réstia de esperança que 2010 nos traga o que merecemos...

Bjs

Carla Isabel disse...

Olha lá ...minha querida linda, mas afinal tens saudades de quê? de estar triste? de não poderes apagar as luzes ou acendê-las? de não poderes ser tu?
Oh pá ou se ama de corpo e alma ou não...ainda que não entendas, ou talvez sim, diz alto que agora és mais feliz...muito alto!Boas vibrações trazem boas realidades;)
Beijinhos e votos de um Natal cheio de mimo e um excelente 2010!

Vanita disse...

Como te entendo...

AC disse...

Muito bommmmm... :)

Mas o melhor de conseguirmos encarar este passado... é perceber q ele foi. E mesmo qdo achamos q este não é melhor... é certamente diferente e com ele o desafio de voltares a muitas coisas... como seja... o optimismo ou o que mais quiseres...

Vai passar... e os teus amigos vão cá estar p celebrar ctg... de certeza. :)

Bom ANo!!!!
AC

Emma Bovary disse...

Deja vu, my dear.

Wish you well!

Girl in Motion disse...

ai. também eu escrevo coisas destas, às vezes, que se perdem depois em pastas esquecidas do computador.

adorei o texto, porque me identifico muito com ele.

feliz natal ^^

R.L. disse...

Acho que somos parecidas em algumas coisas. E se o formos, eu sei então que essa tristeza súbita que se aninha em nós fica para sempre, mas que há momentos, oh se há, em que nos esquecemos totalmente dela e andamos leves como tudo.
És sensível. Isso dói, mas faz de ti uma pessoa mais bonita.

Celinha 007 =) disse...

E apesar de ser verdade neste momento, só posso deixar um beijinho de força. É que as palavras de coragem que te poderia dizer iriam soar a algo feito e forçado e nao quero. Leva o teu tempo e um dia vais ser capaz de dizer isso tudo, rir-te e continuar a ser feliz e optimista*

Espiral disse...

Senti muito esse texto. Porque é tão triste sentir esse tipo de tristeza a instalar-se. E não querer falar dela pelos motivos que expuseste.
Como não te conheço, nem o que te faz imensamente feliz, nem o que te consola, não direi nada...
Apenas que me pareces uma pessoa bonita.

Um beijo cheio de esperança

Espiral

Anónimo disse...

Como compreendo essas palavras, por vezes esses desabafos são bons, nem que seja para se perceber que não somos únicas a sentir tal tristeza....Gostei...=)****

Zombaria e Debochada disse...

Obriga por dizeres oq algumas de nos nao tem coragem ! Fiquei, sem duvida, leitora e fa deste blog :) beijo * Pinguim

Jo disse...

lindo. mto. mm.

O meu mundo disse...

Identifico-me muito com este texto... pensava q era só eu que me sentia assim, afinal estava enganada....
Cada palavra tua transmite os meus sentimentos.... identifico-me com a tua dor... sei que falar e fácil e que a dor não desaparece só porque queremos, mas porque razão uma pessoa precisa de sofrer tanto para conseguir ser feliz?!?!?!?!?

Beijinhos....

P.s eu vou dar o meu grito de mudança em 2010!!! Com alguém ou sem alguém....

Narcolepsia disse...

Obrigada por partilhares, esse texto que tinhas guardado, porque escreves bem.
Às vezes demoramos a perceber o caminho que é melhor para nós e temos de errar até acertar. Desejo-te pensamentos positivos, temos um ano inteiro pela frente. Vamos tentar aproveitar ao máximo e renovar, trocando as recordações que mais nos magoam por novas, aquelas em que vamos trabalhar para guardar deste novo ano.
Beijinhos

Rita disse...

Foi muito bom ler este texto, porque transcreve as minhas emoções neste momento.
é preciso ultrapassar as nossas fraquezas para encontrar-mos as nossas forças. Parabéns pelo blog. E desejo-te muita sorte. :)

Anónimo disse...

Estava a ler este post e a me rever completamente...é tal e qual como me sinto mas nao tenho coragem de tomar uma atitude...nem forças pra mudar...
So queria que a minha vida mudasse e eu conseguisse encontrar o rumo certo e feliz. Ja vi que agora estas muito feliz por isso desejo que continues assim pelo resto da vida.

jinho Alice

Anónimo disse...

Este texto podia ter sido escrito por mim...ontem pus um fim à minha realção com alguém que ainda amo profundamente...e agora estou perdida...perdida porque não era isto que eu queria...mas também não quero mais sentir-me assim ao lado de alguém. Para estar triste...fico triste sozinha. :-((

rm disse...

Li tudo, desde o post mais recente até aqui, sem comentar, mas não poderia deixar passar este post em branco.. Só consigo assinar por baixo, porque isso tudo hoje faz todo o sentido do mundo. *