terça-feira, 23 de outubro de 2012

Ontem recebi um telefonema com 16 anos de atraso

E foi como estava à espera: percebi que as palavras certas deixam de ser certas quando demoram muito tempo a ser ditas, como aqueles perfumes que passam a borrifos de ar por estarem demasiado tempo no frasco.

11 comentários:

S* disse...

Por vezes chegam demasiado tarde. :(

Espiral disse...

Ja vivi isso (não com tantos anos de atraso) em pelo menos duas situações distintas.

E tens toda a razão.
Um beijinho

Imperatriz Sissi disse...

How sad...
Mas pelo menos não fica aquela dúvida horrenda " E se?" para o resto da vida.

S.o.l. disse...

Nunca vivi isso, a pergunta que fica é se após este tempo todo o assunto fica arrumado dentro de ti?

Espero que sim.

Snowball disse...

Fica sempre a sensação de vazio! e a pergunta "e se isto tivesse acontecido há mais tempo, tudo seria diferente?"

Anita Garcia disse...

Um telefonema que demorou 16 anos?? E ainda por cima parece que não valeu a pena... Espero que não te tenha deixado a remoer nada...
Há dois anos também encetei uma conversa com um atraso de 12 anos, mas foi frente a frente. Deu para tirar os esqueletos todos do armário.
Entretanto já o enchi de novo, com outros esqueletos, mas desta vez não esperei 12 anos para deitar tudo cá para fora.
Força, se for caso disso... Beijinho*

Karina sem acento disse...

Compreendo-te... mesmo assim, eu continuo à espera de um certo telefonema, por muito tardio que seja...

Clic Chic disse...

sem dúvida!

chinfrim disse...

Percebo... atrevo-me a dizer que bastam uns meses para que as palavras passem da validade.

Carla Isabel disse...

...nem imagino como isso seja....

Maria Ninguém disse...

Não sei a história, mas penso que nestas situações há sempre a oportunidade de ser ir buscar o telefonema. Ou pelo menos tentar.