terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Trinta anos

O meu irmão faz trinta anos depois de amanhã. O meu irmão tem mais quatro anos do que eu, e eu ainda me lembro de quando lhe entrava pela sala de aula dentro, ele já na primária com cadernos a sério e letras e números a sério e eu ainda de bata do infantário, e dizia alto e bom som: “Tenho chichi, leva-me à casa de banho”, para gozo dos colegas e enorme vergonha dele.
Ainda me lembro de quando andei à pancada com uma namorada dele, na colónia de férias, porque ela era uma parva e ele merecia muito melhor. (acabei no chão, ao lado da mesa de matraquilhos com um joelho esfolado e o orgulho ainda pior).
Ainda me lembro quando uma castanha assada lhe rebentou nas mãos e ele ficou com as migalhas todas coladas aos óculos e eu ri-me às gargalhadas quando ele os tirou e ficou com dois espaços brancos todos limpos e o resto de cara cheio de papa.
Ainda me lembro das primeiras noites em que saí, e de ele me ir buscar – à falta de um pai que o fizesse – à porta do rockline, com olhos de sono mas sem se queixar.
Lembro-me dos segredos que me guardou e dos ralhetes que me deu.
Lembro-me de andarmos a apanhar ondas na praia, e ainda hoje sei que não tenho medo do mar porque o mar sempre foi uma brincadeira de crianças.
Lembro-me que ele me roubava o MEU colchão das tartarugas ninja.
Lembro-me que ali pelos 12, 13 anos, ele era completamente insuportável.
Lembro-me das paralíticas nos braços e nas pernas, e das dentadas que eu lhe dava em resposta, já que quase nem me conseguia mexer.
Lembro-me do Castelo do He-man e de discutirmos por causa dos GI Joe.
Lembro-me que não percebia porque é que eu havia de brincar com os Transformers dele e ele não havia de brincar com as minhas Barbies.
Lembro-me de quando ficámos fechados na rua, de pijama, só porque queríamos ver os Thundercats e com a pressa nos esquecemos da chave dentro de casa.
Lembro-me da fase filosófica que lhe deu (também insuportável), em que não nos podíamos sentar à mesa sem que ele perguntasse: “Porque é que o jarro se chama jarro? Porque é que a laranja se chama laranja e não jarro? Porque é que o jarro não se chama copo?”, e por aí fora (é fácil de imaginar).
Lembro-me de mil coisas, trinta vezes trinta, vezes trinta, vezes trinta, vezes trinta…

O meu irmão faz trinta anos depois de amanhã. Trinta anos. Mais dezoito desde a fase em que era insuportável. Mais doze desde a altura em que me ia buscar à noite. Mais vinte desde que engolíamos pirolitos na praia...
Porra que o tempo não pára.

15 comentários:

Corset disse...

Antes de mais tenho que confessar que te invejo. Tenho irmãos e apesar de me relacionar muito bem com um deles, não tenho muito que contar sobre a minha relação com eles. Foi sempre distante. Estamos e estaremos sempre presentes quando for preciso..mas há sempre uma barreira invisível e inquebrável!

Parabéns ao teu irmão e parabéns a ti também, por teres a sorte de teres uma verdadeira "relação fraternal" :)

R.L. disse...

lindo texto. os irmãos (no meu caso 4 irmãs), são do melhor que há. apesar das fases "insuportáveis".

Cindy disse...

E que boas recordações e recordar é viver!

MissKitsch disse...

O texto é brilhante! E eu também me lembro do He-man, e do castelo do Skeletor enquanto eu gostava mais de brincar com o da She-ra, que era assim rosa e doirado muito pindérico.


Já agora, parabéns ao mano!

Maria Inês disse...

Concordo com a R.L. (no meu caso é só uma).
MissKitsch, eu também adorava a She-ra!
E Juliette, um beijinho grande para ti e parabéns ao teu irmão.
^^

Marta disse...

Devias mostrar este texto ao teu irmão, vai adorar!

Mafalda Azevedo disse...

Parabéns ao teu irmão!!

Belo texto... Já tinha saudades de te ler! =)

crème fraîche disse...

o He-Man e a Shee-ra são (L).


e parabéns ao mano =)

Maria Manuela disse...

Este, foi dos melhores post que já li.

Obrigada

João disse...

Este texto é lindo :)

SMS disse...

Lindo. Oxalá os meus meninos, um dia, escrevam coisas assim bonitas uns sobre os outros. O amor fraterno devia ser sempre assim. Beijo!

Praganitas disse...

Tens um mimo no meu blog.
Beijinho

Anna disse...

oh..nunca mais escreveste nada, gosto tanto de ler!

Nanita disse...

É um bonito texto.

Andrea Santos disse...

Olá!
Este texto quase me fez chorar. o meu irmão também está quase a fazer 30 anos e eu tenho menos 5 que ele.
Ao ler o que escreveste sobre os dois, quaase pareceu que estavas a contar as minhas "aventuras" com o meu irmão... até a pressa para ir ver os ThunderCats! eu tb brincava com os bonecos dele e ele não admitia brincar com as minha Barbies...
enfim, há coisas que... enfim... sem palavras.
O tempo não pára mesmo!

vai passando em www.adoptaumamigo.blogspot.com e www.maosolidaria.blogspot.com


bjs