quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

António Lobo Antunes

"Acho que não devia fazer electrocardiogramas eu, devia fazer escalas de Richter porque me parece que em lugar de coração tenho um sismógrafo cuja agulha assinala o menor estremeço interior ou exterior com uma amplitude imensa: basta-me viver para a agulha não parar e que cordilheiras de tinta os meus dias. Se me perguntam:
- Como vais?
só tenho a mostrar riscos enormes, capazes de fazerem cair todos os prédios da cidade e espanta-me que Lisboa permaneça intacta e o chão nem oscile."

início da crónica que sai hoje na Visão.

6 comentários:

Satine disse...

um senhor, um senhor! :) **

*flor* disse...

um senhor que sabe o que escreve!

=)*

Carochinha disse...

Who's the men?
He's the men :)

Marta disse...

Ele é genial :)

Sereia disse...

:)

elisa disse...

Isso tem tanto a ver com o que sinto hoje que não resisto e peço-te a citação emprestada.
Com a devida referência, claro.
Espero que não te importes:)