quinta-feira, 10 de julho de 2008

Boas acções

No outro dia, fiz o que se pode considerar uma boa acção. Fui ver o Cirque Invisible à Culturgest (não era isso a boa acção), e tinha convidado uma amiga. A amiga deixou-me pendurada, porque também é jornalista, claro, e os jornalistas são seres explorados, masoquistas e sádicos, que às 21.30 ainda continuam a trabalhar. Enfim, ela não conseguia sair do trabalho a tempo, e eu tinha um bilhete a mais. Encontrei um antigo colega de que gostava muito, estava com um grupo de amigos, e perguntei-lhes se queriam um bilhete. Uma rapariga veio ter comigo a dizer que tinha ouvido um rapaz andar a perguntar quem vendia entradas (porque era a última noite e a sala estava esgotada). Passado uns segundos, veio o tal rapaz. Disse-lhe que tinha um bilhete, ele perguntou quanto eu queria por ele, eu disse que nada, e entreguei-lho para as mãos. Ficou com os olhos esbugalhados, mil vezes agradecido, a chamar-me benfeitora e sei lá mais o quê. E se a história tivesse ficado por ali, eu até acreditava que as boas acções são coisas bonitas de se fazer.
Mas não. Primeiro, porque o rapaz não era giro, e deixou-me a matutar que lá se ia uma boa oportunidade de, quem sabe, conhecer um príncipe. Claro que ser giro à primeira vista não é condição fundamental. Mas ele cheirava mal. E ao fim de cinco minutos disse a frase mais proibida de todas: "Gosto muito de artes circenses, mas nunca fui ao teatro."
Para mal dos meus pecados, tive de levar com ele ao meu lado durante as duas horas do espectáculo e durante parte do intervalo (na outra parte fugi para morada incerta). E ontem, ontem ligou-me para o trabalho e apareceu-me com um convite para a festa do circo do Inatel.
Fui seca ao telefone, disse que não me lembrava do nome dele, pedi para dizerem que não estava e não agradeci nem vou agradecer. Bitchy bitchy bitchy.
Por mim, chega de boas acções.

6 comentários:

SMS disse...

Porra! Cheirava mal? E um perfume? Um desodorizante? Mas que azar! Cheirava mal? Bah! Vai mas é á bruxa!

Maria Inês disse...

Ah pois é... anda uma pessoa cheia de problemas e ainda se porta bem e faz boas acções e depois é o que se vê! "Só nos saem é duques e cenas tristes..."
Melhores dias virão! =)
Bjs*

Mafalda Azevedo disse...

Ah Ah Ah Ah!!

"um convite para a festa do circo do Inatel" ?? Santo Deus! Mas que maravilha! Desculpa, Juliette... Mas estou aqui a rir-me às gargalhadas! Coitadinha... Cheirava mal, nunca foi ao teatro e apareceu-te no trabalho com um convite para a festa do circo do Inatel? Não consigo parar de rir... Desculpa, a sério!
Sem quereres, conseguiste-me arrancar da mais profunda neura londrina… Assim sendo, já lá vão duas boas acções! És uma santa pessoa!

:)

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

É preciso ter azar... mas explique lá uma coisa. Foi o desconhecimento do teatro ou o mau cheiro que a levou a afastar-se? É que se a lacuna do teatro é irresolúvel, o mau chiro passa com um banhito, um bom perfume e desodorizante.

juliette disse...

Mafalda, e tu fizeste-me rir ainda mais com esta situação. :)

um palhaço que não gosta da festa do circo do inatel disse...

eu cá para mim que não te conheço ( e nem me atrevo a oferecer-te os convites para a festa do circo que deixei apodrecer na minha secretária) isso foi mas é premonição. cá para mim tu sabias que ele te ia ofercer os convites pró circo.